CRM Casa Eliane de Grammont

É uma instituição Governamental vinculada à Secretaria de Participação e Parceria do Município de São Paulo e tem como objetivos atender à mulher em situação de violência dentro de uma proposta multidisciplinar tendo em vista a administração do cotidiano, e superação da situação de violência.

Acessibilidade: Sim

Acessibilidade física:

Capacidade: 80

Horário de funcionamento: segunda-feira 08:00–17:00 terça-feira 08:00–17:00 quarta-feira 08:00–17:00 quinta-feira 08:00–17:00 sexta-feira 08:00–17:00 sábado Fechado domingo Fechado

Site: http://www.redededefesadedireitos.com.br/assistencia-juridica/casa-eliane-de-grammont/

Email Público: caseliane@yahoo.com.br

Telefone Público: (11) 5549-9339

Endereço: Rua Dr. Bacelar, 20 , Vila Clementino, 04026-000, São Paulo, SP

CEP: 04026-000

Logradouro: Rua Dr. Bacelar

Número: 20

Complemento:

Bairro: Vila Clementino

Município: São Paulo

Estado: SP

Descrição

Objetivos: atender à mulher em situação de violência dentro de uma proposta multidisciplinar tendo em vista a administração do cotidiano, e superação da situação de violência. É uma instituição Governamental vinculada à Secretaria de Participação e Parceria do Município de São Paulo.
Atividades desenvolvidas: atendimento social: triagem realizada por qualquer profissional da equipe, onde a mulher é acolhida e sua demanda é avaliada para ser incluida nos diversos atendimentos oferecidos pela casa.Ela pode ser atendida e orientada pelo Serviço Social, ou ser atendida e acompanhada pela Psicologia, ou ainda, ser encaminhada para orientação ou atendimento jurídico pela Defensoria. Pode também receber encaminhamento para alguma das atividades da própria casa , como Grupo de Reflexão, ou de orientação em Direitos, ou para alguma oficina, ou ainda para outras instituições. Em casos considerados “complicados” ou de risco, em geral o caso é discutido em equipe e às vezes é necessário acionar outro serviço da Rede. O atendimento grupal busca dar suporte para a mulher ampliar a reflexão sobre sua “condição de mulher” e também sobre seus problemas e dificuldades, superar a situação de violência em que se encontra, e construir autonomia. Os temas a serem discutidos são escolhidos pelas próprias participantes.
Como é o atendimento: o atendimento deve ser agendado previamente. A mulher que comparecer sem hora marcada pode ser atendida se houver disponibilidade no dia, caso contrário é agendado seu retorno. O acolhimento é feito para avaliar a necessidade da demanda, a partir de onde são feitos os encaminhamentos necessários. A partir disso a mulher pode ir para o atendimento jurídico, psicológico ou de grupo, ou para outras instituições que tenham melhores condições de lidar com sua situação específica.
Condições para o atendimento: ser mulher e residente no município de São Paulo. È importante trazer carteira de identidade. A Casa Eliane de Grammont não atende a crianças, mas pode atender a adolescentes grávidas em situação de violência.

Ponto de referência: próximo ao sindicato dos motoristas de táxi. A Casa Eliane de Grammont funciona numa casa térrea, com portão de entrada, sem placa de identificação na frente e com pequeno terraço.

Critérios de uso do espaço

Mulheres
evento entre e Baixar Planilha

Publicado por

Ivy Mari Mikami

Atriz, contadora de histórias e arte-educadora Licenciada em Arte-Teatro pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp) e bailarina formada pelo Balé do Teatro Guaíra (PR). Atualmente é atriz contadora de histórias do coletivo As Trapeiras e também integra o Grupo Teta de Teatro como atriz e preparadora corporal.

Nome:

E-mail:

Tipo:

Mensagem:

Enviando mensagem

Enviando mensagem